Retrospectiva Restôs 2014 – BH

Estou de férias na praia e tinha pensado que só iria postar depois que voltasse para BH. Entretanto, vi um post no Fashionismo que me inspirou. A The (sim, sou uma seguidora assídua, por isso me considero íntima) do Fashionismo, fez um post com a Retrospectiva de Restaurante/Bares/Comidas de 2014 do Rio. Vou fazer também, só que de BH.

Não sou nenhuma expert, mas se tem uma coisa que eu gosto é sair para comer, (e comer bem)! Como vocês sabem BH é muito famosa por seus bares/restaurantes, e, realmente na minha cidade se come muito bem. A lista é totalmente pessoal (com a ajuda do Victor, devo admitir!), mas aqui no blog sempre estou me expressando, certo? Por isso, nos comentários, quero sugestões também!

/home/wpcom/public_html/wp-content/blogs.dir/9eb/71272604/files/2014/12/img_2769.jpg

Francês: Mes Amis – esse restaurante em Lourdes é muito especial. Fui comemorar com o Victor nosso sexto ano de namoro, utilizando o Wave Cash, um bloco de cupons que nos deu o segundo prato grátis! Achei muito lindo, romântico e a comida é deliciosa! Não é o restaurante mais barato da cidade, mas de vez em quando pode né?

Italiano: Gusto Osteria – Conheci o Gusto, que também se encontra no bairro de Lourdes, devido ao aniversário do meu pai, em Setembro. Estava rolando a Restaurante Week de BH e sempre utilizo essa época pra conhecer restaurantes novos. O Restaurante é bem pequeno, mas é bem gostoso e a massa é deliciosa!

Churrascaria: Adega do Sul – muitos não irão concordar, mas acho que pelo custo benefício, a Adega é a melhor churrascaria. Ela oferece praticamente tudo que as demais oferecem, com a mesma qualidade, mas com um preço um pouco menor!

Melhor comidinha: Pão de Queijaria – eu adoro o conceito da Pão de Queijaria, da Savassi. Isso porque, é bem mineiro e para um lanche é ideal. Existem vários tipos de Pães de Queijo recheados tanto salgados, quanto doces. Para aqueles que são celíacos, existe algumas opções sem glúten!

Self-service: AA Wine Experience – Também conheci o AA devido ao Restaurant Week, entretanto, enquanto eu e a minha amiga Carlinha comíamos os três pratos oferecidos, nossos pais preferiram o Self-service. A variedade de pratos, saladas e sobremesas é incrível, além de ter uma carta de vinhos completíssima! Para um almoço domingo com a família é uma ótima pedida.

Pizza: Olegário – Na minha opinião não existe melhor. Ela é fina, bem recheada e tem diversas opções (desde as mais típicas às mais diferentes!). Eu amo a Estrada Real (carne seca!) e a de Carpaccio! Existem várias unidades espalhadas pela cidade e todas mantém a excelência, procure a mais perto de você, que você bem atendido!

Hamburger: Burger’s Club – Eu já fui em muitas hamburguerias em BH, mas para mim o melhor hamburger de todos é o do Burger’s Club. O estabelecimento fica no bairro São Pedro, pertinho do Pátio Savassi. O cardápio é enxuto, mas tem todas as opções que gostamos, com uma batata muito boa!

Restaurante Chique: O Conde – O Conde é bem chamativo na Rua Conde de Linhares, então a decoração é linda! Tomei um vinho rosé lá delicioso! As comidas também são muito boas e bem feitas. Amei as sobremesas também. O Chef de cozinha, no dia que estávamos lá, foi até a mesa, se apresentou e nos perguntou se estava tudo bem.

Boteco: Tizé – Esse é muito famoso e fica muito lotado. Fui no aniversário do cunhado Henrique e gostei bastante. Achei os drinks bem bons e variados, além das comidas serem gostosas e fartas.

Decepção: Bacon Paradise – Tinha tudo para dar certo, mas decaiu muito. Você espera muito desse lugar, porque afinal é BACON! Entretanto, o bacon é muito grosso, é muito oleoso e os hambúrgueres não são nada demais.

Melhor sobremesa: Olegário – Petit Gateau de Doce de Leite com sorvete de queijo! Uma receita francesa com um toque mineiro, precisa dizer mais?

Melhor sorvete: Alessa – Para os Belo-Horizontinos não é novidade que a Alessa é o melhor sorvete. São sabores variados, de frutas e alguns exclusivos. Além disso, eles fazem várias sobremesas deliciosas com sorvete, um petit gateau maravilhoso com calda de frutas vermelhas, vale muito!

Comida Natureba: Projeto Sabor – Não é muuuuuito natureba, mas é o mais natureba que eu como. Lá tem uns sucos deliciosos e de variados sabores. Além disso, os sanduíches são montados por você, com carnes, queijos e saladas variados. Lá também tem: saladas, carpaccio e muitas coisas mais.

Comida Mineira: João Rosa – eu não sou muito de comida mineira (não como feijão…), mas se eu tivesse que pensar em um lugar bem mineiro seria o João Rosa. O restaurante é simples, não muito conhecido, mas muito bem servido, com muita variedade e é self-service. A comida é bem caseira, por isso, torna essa experiência bem mais gostosa.

Quero ir ano que vem: Au bon Vivant – Já li muito sobre esse restaurante, no site do Chata de Galocha e meus amigos Carlinha e Tito me falaram muito bem de lá. É comida francesa e como eu amo Creme Brulee estou louca para provar o de lá.

Surpresa: Si Señor! – Eu não comia muito mexicano, porque não gosto de pimenta. Entretanto, um casal amigo nosso (Mari e Léo Barbosa!) nos convidou para um encontro de fim de ano lá. O restaurante é no BH Shopping e é muito delicioso e farto! Dividimos dois pratos e sobrou! Ah! Os drinks também são muito bons também!

Completão: Glouton – EU ESTOU APAIXONADA! Eu fui ao Glouton com a minha amiga Carlinha e nossos pais. Ela que indicou! Eu não tenho palavras para descrever os sabores que experimentei lá. O atendimento é impecável, o lugar delicioso e os pratos são lindos e muito bem executados. INDICO MUITO!

Meu preferido: Santa Fé – eu AMO o Santa Fé. Acho que ele tem a la carte muito completo, tem um self-service muito bom e sobremesa deliciosas! Eu adoro muito, que passei meus aniversários lá.

Restaurante que precisa vir para BH: Guacamole – eu e o Victor fomos para Santa Catarina visitarmos os amigos Tati e Juninho, que nos levaram em Balneário Camboriú no Guaca. Eu e o Victor AMAMOS! A comida é gostosa (tem opções com pimenta e sem pimenta!), muitos bons drinks e atrações especiais. Os mariachis passam de mesa em mesa tocando e cantando e, depois das 23 horas um DJ muito bom entra em cena.

Restaurante – gringo – que preciso vir para BH: P.F. Chang’s – eu adoro comida chinesa e fui nesse restaurante em Miami que eu adorei. Ele já veio para São Paulo, mas queria aqui em BH. O cardápio chinês é um pouco diferente do que estamos acostumados no Brasil, mas as coisas são muito suculentas e muito gostosas!

Vocês viram que não tem nenhum Japonês, mas isso é devido ao fato, de quem vos fala não gostar de peixe cru. Esses restaurantes, eu garanto a qualidade =) Podem discordar, concordar ou sugerir outros nos comentários, afinal comida boa nunca é demais!

O Porto por fora das rotas turísticas -Parte 2

Continuando às dicas dadas pelo Victor sobre Porto, espero que gostem!

Matozinhos:

IMG_2483.JPG

Matozinhos é uma cidade que fica na região metropolitana do Porto. Assim, não é propriamente Porto, mas como a linha do metro vai até lá, não há porque não considerar como se Porto fosse, não é verdade?
Bem, vamos ao que interessa.
Matozinhos é o lugar onde você irá encontrar um lado mais moderno do Porto. A arquitetura muda completamente, e as instalações de todos os lugares são bem mais nova. E como as diferenças não poderiam parar por aí, ao contrário da maioria das praias europeias, a Praia de Matozinhos tem areia fina, branquinha e o mar não é tão insuportável de gelado (não esperavam que fosse falar que a agua fosse quente né?! Hahaha). O clima na orla é super prazeroso, e mesmo que você não queira aproveitar a praia, o calçadão abre a possibilidade para um passeio de bicicleta, skate, patins e afins…
No fim da praia (ou início; sei lá) é onde fica o Castelo do Queijo. Eu, como amante de uma boa culinária, já tinha ouvido falar que Portugal era muito famoso pelo queijo da Serra da Estrela (É UMA DELÍCIA! Quem conseguir experimentar, verá que não minto), mas até então não tinha comido. Por isso, me dirigi logo pra lá. Contudo, como o mundo não é perfeito, não tinha nada de queijo por lá.
Na verdade, Castelo do Queijo é um nome que popularmente chamam o Forte de São Francisco Xavier, pelo fato de ter sido construído sobre uma rocha de granito que, à época, parecia com um queijo. Assim, o forte que realmente parece um castelo daqueles que se imaginamos quando criança, com uma ponte que leva até a entrada da muralha, guarda um museu histórico-militaraberto ao público. E devo confessar que por mais que tenha tido uma quebra de expectativa negativa, o museu foi outra, porém, positiva. Normalmente não pensamos muito nos pequenos detalhes que envolvem uma guerra, mas lá, ainda que de maneira mais simplificada, há detalhes do armamento, da vestimenta e do comportamento de todos aqueles que serviram ao exercito português no passado (desculpem, mas não me delongarei na história).
Ainda na visita a Matozinhos, todos devem ir ao SeaLifePorto. Ele é um aquário lúdico, não é tão grande e tão expressivo como o Oceanário de Lisboa (outro lugar que não podem deixar de ir), mas que promete trazer muito mais integração do que os aquários convencionais! A visita não é cara (compre aqui link: http://www.visitsealife.com/porto/compre-os-seus-bilhetes/), e ainda existe a possibilidade de pacotes com preços reduzidos para famílias e grupos de visitantes. E o horário de funcionamento é: Seg-Sexta 10h00 – 18h00 e Sáb e Dom
10h00–19h00.

Estádio do Dragão:

IMG_2482.JPG

O estádio do Futebol Clube do Porto foi inaugurado em 2003 para a realização da Eurocopa de 2004, sediada por Portugal. Ele é talvez um dos responsáveis por impulsionar a arquitetura moderna nos estádios. Mas não para por aí. O Estádio do Dragão foi o primeiro estádio europeu a conseguir a certificação “GreenLight”. (certificado da Comissão Europeia que premiou oesforço realizado em termos da utilização racional de energia e na qualidade da iluminação).
O povo português em geral também gosta de sempre comparecer para apoiar seu time, neste caso, o Porto. Assim, além de visitar o Museu do FC Porto que tem suas instalações dentro do próprio estádio, aconselho tentarem ver um jogo do Porto.
O estádio fica na via Futebol Clube do Porto, número 415, Porto, e está aberto para a visitação das 10hrs às 19hrs, ressaltando que as segundas-feiras o horário de abertura é, um pouco mais tarde, 14:30hrs. Os preços vão de EUR5,00 a EUR15,00 dependendo da idade e dos passeios que escolher.
E não se esqueçam: “Alêêêê Puuuuortô!” (como vulgarmente se gritam nossos irmãos portugueses).

Então é isso. Espero que tenham gostado das dicas. E não se esqueçam de reservar um ou dois dias a mais para visitar o Porto por fora do que as empresas de turismo ordinariamente colocam nas rotas!

O Porto por fora das rotas turísticas – Parte 1

Recebi da Vi (minha linda!) a tarefa de falar sobre a encantadora cidade do Porto, em Portugal. A capital do norte, como conhecida no país, é a segunda maior cidade do país, mas talvez, a que mais conquiste os turistas que nele passam.
Em 2012 e em 2014 Porto foi eleito o melhor destino de toda a Europa, prêmio concedido pela European Consumers Choice, e em 2013, apesar de não poder ter sido participante pelo regulamento interno, foi eleita pela Lonely Planet o “melhor destino de férias da Europa”. E nada disso foi atoa, posso garantir!
A cidade possui um excelente custo-benefício, principalmente quando comparada a outras cidades da Europa. A estrutura de bares, restaurantes, shoppings e hotéis não deixa a desejar em nada. Possui inúmeros pontos turísticos, que escondem um história riquíssima; sem falar é claro, no povo português, muito receptivo a viajantes estrangeiros, principalmente em se tratando de brasileiros.
Acontece que, muitas vezes as pessoas ao visitarem o Porto se restringem a visitar as “caves” de vinho, a Ponte Luiz I juntamente com o cais da ribeira e o centro histórico do Porto. Só que a cidade é MUITO mais do que esse centro que em 2 dias se visita. Por isso, trago para vocês alguns pontos turísticos (alguns talvez nem tão turísticos assim), que normalmente não estão dentro das rotas das grandes excursões, mas que sem sobra de dúvidas, não podem ser esquecidos!

Jardins do Palácio de Cristal:

Mas por que jardins do palácio de cristal, e não somente palácio de cristal? Explico. Ao contrário do que se pensa, atualmente, não existe o tal “palácio de cristal” (eu também me decepcionei com esse ponto, devo admitir). O mesmo foi demolido em 1951 e deu lugar ao Pavilhão Rosa Mota (nunca entrei e nem me lembro de conhecer alguém que tenha entrado), construído para o campeonato de hóquei em patins na época.
Histórias a parte, vamos ao que interessa. Os jardins do palácio de cristal são maravilhosos, sem nenhum exagero de minha parte! Cada parte do entorno do pavilhão possui uma temática, daí, no caminho, lhe dá a impressão de passar vários lugares, completamente diferentes. Juntos, formam uma espécie de parque em que muitas famílias e amigos vão desfrutar dias inteiros (já vi até noivas fazendo seu “book de casamento” lá).
Mas não é só isso. Para pessoas um pouco mais intelectuais (digamos assim), ainda há a possibilidade de visitar a Biblioteca Municipal Almeida Garrett, onde se encontra a galeria do palácio, e não sair completamente decepcionado por não o encontrar. Ela também está no coração dos jardins, bem próxima ao pavilhão.
É um lugar que com o mínimo de simplicidade conquista a todos. Sejam turistas, sejam moradores locais, a opinião é unânime. Todos devem visitar os jardins e desfrutar um pouco de seu dia “por alí a passear”.

Os jardins ficam à Rua de D. Manuel II, em frente ao número 282, ficando aberto 8:00-21:00hrs de Abril a Setembro, e 8:00-19:00 de Outubro a Março.

IMG_2353.JPG

Galerias de Paris:

Como não poderia faltar no Porto, falemos de uma dica noturna! O Porto é muito famoso entre os jovens europeus por ter baladas para os mais diversos gostos, a um preço mais em conta (beeeeeem mais em conta quando comparado ao Brasil, pode acreditar).
Localizada no centro histórico do Porto, a rua Galerias de Paris é o local ideal para se passar a noite. Cada balada possui um som, seja rock, reggae, sertanejo, samba, pagode (sim, eu fui em vários e vi todos estes ritmos); daí, como não se paga a entrada (a não ser que seja uma festa específica) pode-se começar a noite em uma, e ir passando para outras conforme sua vontade!
Além disso, cada “casa” possui um cardápio de drinks; e por isso, um “Pub Craw” pelo Porto vale a pena sim!
E apenas para relembrar, ao contrário do que acontece aqui no Brasil, a vida noturna começa mais tarde. Então, de uma boa descansada com o fim do dia, e vá para as ruas somente depois das 23hrs, que é, mais ou menos, quando as baladas abrem ao público. E claro, bebam com moderação (hahaha)!

IMG_2359.PNG

Nota da Viviane: esse é o primeiro Post que o Victor escreveu para o blog! Minha primeira colaboração tinha que ser dele né? Terá uma parte 2 viu? Espero que vocês gostem e deixem comentários!