Day 5 and 6 – Buenos Aires

O quinto dia de viagem ficou para uma coisa que as mulheres adoram: COMPRAS! Só comprei um arco, que vocês irão ver nas fotos abaixo… Mas não comprei mais nada, não porque não compensava o preço, mas eu não amei nada sabe? O preço é o mesmo do Brasil, tirando alguns produtos. Compramos Pashminas para nossas mães que valeram super a pena na Calle Florida. Outra coisa que vale super são os vinhos! Você poderá trazer na mala tranquilamente. Para aqueles que amam doces, os Alfajores Havana estão liberados e tem lojas espalhadas pela cidade, mas informo que está proibido a entrada de Doce de Leite (a polícia está barrando mesmo, então acho melhor nem correr o risco!). AH! Nesse dia também comemos o melhor sorvete da cidade, e não, não é o Fredo! A Sorveteria se chama Pérsico e é DIVINO! Me indicaram e indico mil vezes!

Olha a minha cara de felicidade... =)

Olha a minha cara de felicidade… =)

MELHOR!

MELHOR!

Deixamos o principal para o último dia: Plaza de Mayo, onde se encontra a Casa Rosada! Aos fins de semana é possível visitar a sede do governo e é de graça gente! O guia explica vários fatos históricos do local e percorremos boa parte do prédio, inclusive no Gabinete da Presidente (“E” sim, porque eu não mato o português…) Cristina.

Interior da Casa Rosada

Interior da Casa Rosada

A Casa rosa mais famosa do mundo...

A Casa rosa mais famosa do mundo…

Uma selfie com ela

Uma selfie com ela

Na Plaza ainda estão presentes: o Banco de La Nácion, construído para ser o maior banco na sua época; o Cabildo de Buenos Aires, local de debate onde foi dada a largada para a Independência; e a Catedral Metropolitana, famosa atualmente por ter sido a última paroquia do Papa Francisco (como eu amo, #soufã!) antes de ir para o Vaticano.

Banco de La Nación

Banco de La Nación

Cabildo

Cabildo

A Igreja que convenhamos não parece igreja...

A Igreja que convenhamos não parece igreja…

Sempre com ele

Sempre com ele

Seguimos para a última parada da viagem… O DELICIOSO restaurante La Bisteca, que também foi indicação e indico para vida! O restaurante fica em Puerto Madero e é INCRÍVEL. Pagamos no almoço 160 pesos por pessoa, com direito a buffet livre, carnes maravilhosas e uma sobremesa por pessoa. Gente! Isso dá 40 reais por pessoa! Não comemos assim em nenhuma churrascaria em BH, que, by the way, não chega nem perto das carnes de lá… Por isso, não deixem de ir!!!!!!!!!!

Acabou o post e acabou a viagem… =(

Para resumir, querem viajar barato? Buenos Aires! Iria novamente? Com certeza! Ficaria quantos dias? 4 dias, gente! Valeu a pena? Ô se valeu! Escrevendo para vocês deu muita saudade…

Anúncios

Day 4 – Buenos Aires

Continuando meu roteiro por BsAs… No quarto dia reservamos a manhã para a Plaza San Martín e seus atrativos. Como na maioria das vezes fomos a pé do hotel… A primeira parada da praça foi o Palácio San Martin, mas batemos a cara na porta, porque ele só abre a partir de Março! Tiramos fotos do seu exterior, mas ficamos com água na boca, pois o Palácio parecia ser muito lindo internamente.

IMG_7460

Palácio

Tiramos fotos do Edifício Kavanagh, famoso pela arquitetura modernista construída nos anos 1930. Com seus 120 metros de altura, já foi o maior prédio da América Latina! Continuando a sessão de fotos, tiramos na frente do Círculo Militar construída entre 1902 e 1914 como mansão da aristocrática família Paz e tem uma arquitetura inspirada nos castelos do Vale do Loire.

Edifício Kavanagh

Edifício Kavanagh

IMG_7477

Círculo Militar

Pegamos o Subte e fomos ao Teatro Colón. Quando chegamos ao teatro descobrimos que havia uma visita com guia falando em português (todos os dias às 13 horas!). Decidimos comprar essa visita, mas ainda era cedo e aproveitamos para passear mais.

O teatro lindo

O teatro lindo

Tiramos foto no famoso Obelisco da Avenida Nove de Julho e pegamos o metrô para o Congresso. Mais uma vez a cidade nos mostra um grandioso edifício clássico e imponente como deve ser o Poder Legislativo.

IMG_7529

Obelisco (ou no minerês, Pirulito…)

IMG_7533

Sim, isso é o Congresso!

Voltamos para o teatro e fizemos a visita. O guia é argentino, mas fala bem português. Ele explica cada detalhe da construção e sua história, mas sempre com um ar de superioridade (esses hermanos…). De todos os lugares que visitei em Buenos Aires posso dizer que esse foi o mais bonito. O interior do Teatro é suntuoso, cheio de ouro, tecidos finos como era de se esperar para um teatro inaugurado no auge da Argentina, em 1908 e teve como sua peça inicial Aída.

Interior do Teatro

Interior do Teatro

O Salão onde só iam pessoas importantes (como eu... =) )

O Salão onde só iam pessoas importantes (como eu… =) )

IMG_7562

Fala se não é lindo?

Terminou o dia 4… Gostaram?

Day 3 – Buenos Aires 

No terceiro dia de viagem começamos no Caminito, famoso bairro de BsAs. O bairro ficou famoso pelo colorido de suas casas e restaurantes com tango ao vivo. Desde sua criação o bairro abriga pessoas mais humildes de BsAs, mas o que menos você vê por lá são argentinos! O bairro atualmente abriga muitas lojas de souvenir, pessoas querendo tirar fotos em poses tradicionais de tango e vendedores querendo ganhar em cima do turista.  Compramos muitos souvenirs e lembranças, pois o preço é muito convidativo! O próprio motorista de táxi nos avisou para não nos afastarmos das ruas principais, pois o Caminito não tem uma fama de ser super seguro. Por isso, tomem cuidado!

IMG_7263

Caminito

Casas Coloridas

Casas Coloridas

IMG_7309

Existe amor e tango no Caminito S2!

No mesmo bairro, a outra atração é o Estádio do Boca Juniors (que eu já tinha falado dele no post do hotel!)! O La Bombonera perto das ruas principais e fácil de ir a pé. Chegando ao estádio, Victor e eu tiramos fotos do lado de fora e partimos para comprar os ingressos. Existem 2 tipos de ingressos diferentes, um descrito “com guia” e outro “sem guia”. Eu e Victor pensamos: “Ah, não precisamos de guia…” e fomos na segunda opção que é mais barata! Entretanto, quebramos a cara… O passeio oferecido sem o guia não é o mesmo com ele. Ele é menor e não vai em todos os lugares do estádio, como as cabines de rádio, sala de imprensa e os vestiários. Por isso, quem for indico que paguem um pouco mais e escutem um espanhol, mas vejam tudo!
La Bombonera

La Bombonera

Me sentindo como um boquense (só que sou Galo sempre S2)

Me sentindo como uma boquense (só que sou Galo sempre S2)

Pela tarde partimos para outro bairro chamado Recoleta. O bairro é famoso pelo Cemitério com o mesmo nome. Entretanto, há muito mais a se ver do que o cemitério (que eu e Victor não entramos, mas é atração…).  Paramos para tirar foto no Hotel Alvear, que seria um Copacabana Palace dos hermanos. É bem chique, mas foi somente uma parada para tirar foto mesmo. Logo após, almoçamos no Recoleta Mall, comida bem gostosa (carne e batatas!) e barata no quarto andar.
Hotel Alvear

Hotel Alvear

Continuando o turismo, fomos a Biblioteca Nacional, que tem uma arquitetura super moderna e é suspensa, mas está mal cuidada infelizmente. A Biblioteca era próxima da casa dos Perons e eles iam passear por lá, por isso há uma escultura em homenagem ao casal.  Ainda a pé, fomos a famosa flor “Floralis generica”, que fica aberta com o sol e se fecha com o escuro. Por acaso, ao lado da flor nos deparamos com a Universidade Federal de Direito da cidade e ela é simplesmente MARAVILHOSA! Eu e o Victor ficamos loucos para estudar em um lugar tão bonito assim!
Biblioteca

Biblioteca

IMG_7369

Foto com a família mais famosa da cidade

IMG_7391

A foto de turista =)

IMG_7389

Os estudantes de direito babando na faculdade de lá…

Bem perto está o Museu de Belas Artes da cidade que abriga muitos quadros de artistas famosos, como Monet, Rambrant, Picasso, etc… A entrada é grátis, então se vocês gostam do tipo de passeio, vale a pena.  Lembram que falei da minha trapalhada com o MALBA no post anterior? Pois é… Pegamos um taxi e fomos visitar o museu. A entrada é 30 pesos, mas estudante (mostrando a carteira), não paga! Ele é super moderno, tanto pela arquitetura, quanto pelas peças de artes que estão em seu interior. Eu não sou muito fã de arte moderna, assim como Victor, mas para quem gosta é imperdível, além de reconhecer artistas latino-americanos, como a Tarsila do Amaral.
IMG_7401

Museu de Belas Artes

MALBA

MALBA

Assim, o dia 3 chega ao final… Gostaram dos passeios? Ainda terão mais posts para terminar a viagem! Me contem as impressões de vocês!

Day 1 and 2 – Buenos Aires

Pessoal, vou apresentar meu roteiro para vocês! Fiquei 6 dias em Buenos Aires e eu e o Victor concordamos que em 4 dias se vê tudo, se você não quiser fazer passeios que saiam da cidade. A mobilidade da cidade é excelente então você faz tudo bem facilmente. A viagem foi bem barata, por isso, quem quiser fugir da alta do dólar, sugiro a América do Sul.

No dia que chegamos não fizemos muitos passeios, somente almoçamos na Galeria Pacífico (que é linda!), passeamos na Calle Florida e em Puerto Madero, incluindo a Puente de La Mujer e trocamos um pouco de dinheiro. Ah! Indico trocar na Calle Florida mesmo, só cuidado com as notas falsas pessoal! Levem um pouco daqui para o táxi do Aeroporto até o seu hotel, que está na faixa de 450 a 480 pesos por carro.

IMG_7042

Galerias Pacífico

IMG_7060

O lindo com o teto maravilhoso da Galeria S2!

IMG_7092

Puerto Madero

IMG_7097

Puente de La Mujer

Já no primeiro dia de turista (ou segundo dia de viagem… como queiram!) nós fomos ao bairro Palermo. Pegamos o metro perto do hotel e descemos na estação Palermo (linha verde). Primeira parada: Centro Cultural Islâmico Rey Fahd. Imagino a cara que vocês fizeram lendo isso! Sim, eu não estou louca. Em Buenos Aires, tem esse centro que contém a maior mesquita da América do Sul! O complexo tem uma área de 4 hectares e foi inaugurado em 2000. Infelizmente, por ser feriado, não estava aberta a visitação, mas ela é linda por fora. Se vocês quiserem entrar, nada de short ou saia curta ok?

Centro Cultural Islâmico Rey Fahd

Centro Cultural Islâmico Rey Fahd

IMG_7136

Centro Cultural Islâmico Rey Fahd

Buenos Aires é uma cidade plana, então se preparem para andar. A próxima parada foi o Parque 3 de Febrero ou Bosques de Palermo. Esse parque é super frequentado pelos argentinos em dias de sol. Um dos pontos mais famosos do parque é o Rosedal, que pelas fotos vocês constarão que é D-I-V-I-N-O! O parque é bem grande e uma boa opção para pessoas com tempo.

Foto blogueira famosa feita pelo meu fotógrafo preferido!

Foto blogueira famosa feita pelo meu fotógrafo preferido!

Eu e ele...

Eu e ele…

Rosedal

Rosedal

Seguindo a Avenida Del Libertador chegamos a outro parque: O Jardín Japonês. No caso, para adentrar o jardim é preciso pagar 50 pesos por pessoa, mas é bem legal. O Jardim não é muito extenso, mas é cheio de detalhes típicos da cultura japonesa, como os bonsais, as pontes de madeira vermelha, as casas tradicionais do Japão e o lago com carpas.

Com ele no Jardim Japonês

Com ele no Jardim Japonês

Visual

Visual

Ainda no bairro de Palermo fomos ao Zoo de Buenos Aires. Não é o Zoo que você passa a mão no tigre não (esse nós não fomos…), mas é bem legal também. “Almoçamos” dentro do Zoo, que tem hambúrguer e um hot dog bem bom viu? O zoológico tem duas entradas e custa 140 pesos por pessoa.

Pensaram que acabou? Não não! Próxima parada: Museu Evita. Pouca gente conhece esse museu, mas eu adoro o musical da Evita (já disse isso nesse post aqui!) então quando descobri isso falei com o Victor: nós vamos! O Museu conta a história da mulher mais adorada da Argentina até hoje, desde sua ida a Buenos Aires ainda como Eva Duarte até sua morte ao 33 anos, passando pelo casamento com Peron e sua grande liderança política. Na casa, existem muitos documentos, fotos e vídeos de Evita, além de vestidos originais usados por ela.

IMG_7209

Museu Evita

O casal mais it de BsAs

O casal mais it de BsAs

Pegamos um táxi e fomos para o MALBA – Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires, mas por um descuido da pessoa que vos fala que não olhou antes, ele estava fechado. O Museu somente fecha as Terças, para que vocês não cometam o mesmo erro que eu. Voltamos em outro dia viu? Depois conto mais para vocês.

Novamente pegamos um táxi e fomos a Livraria El Ateneo Grand Splendit. Essa livraria é muito famosa por estar dentro de um antigo teatro e é simplesmente MARAVILHOSA!

LINDA!

LINDA!

Agora os passeios culturais e turísticos terminaram, mas fomos comer em um lugar que preciso comentar. Eu e o Victor queríamos comer pizza e a atendente da recepção do hotel nos indicou a La Rey, que podíamos ir a pé. Gente! Que pizza deliciosa! O restaurante é super tradicional em BsAs, já está lá a anos e o preço é ótimo! Ele fica pertinho do Obelisco, então não tem erro!

Espero que tenham gostado! Qualquer dúvida ou sugestão me falem nos comentários… Já já posto o dia 3 =)

Nosso hotel em Buenos Aires 

Quem me conhece sabe como eu amo futebol. Eu torço para o Clube Atlético Mineiro, ou, para os íntimos, o galo mais lindo do mundo. Vocês devem estar pensando, o que isso tem haver com o nosso hotel em Buenos Aires, certo? Ganhamos de presente o Hotel Boca Juniors by Design (obrigada!), que é o único hotel temático do mundo que tem como tema um único clube. 

Boca
Para aqueles que não sabem, o Boca Juniors é um grande clube argentino, que tem muitos títulos e torcedores apaixonados. Seu estádio, La Bombonera, é umas das atrações de Buenos Aires (inclusive falarei dele em outro post!) e não é muito grande não, mas é muito íngrime, o que o torna um grande caldeirão!
Voltando ao hotel, a decoração é toda nas cores do clube, amarelo e azul. As portas dos quartos são jogadores famosos do clube, como o Maradona, o Tevez ou o Riquelme, que foi o nosso. Além disso, existem TVs por toda parte passando 24 horas por dia, 7 dias da semana futebol. As dependências do hotel são completas, com uma piscina aquecida, jacuzzi e sauna.
O quarto é excelente! Enorme e muito confortável. O café da manhã também é incrível, bem completo, com frutas, pães, yogurt e claro, medialunas (ou croassaint) com muito doce de leite! Os funcionários são bem atenciosos e dispostos a ajudar. Compramos água em um Carrefour e foi tranquilo, além de termos comprado pizza e eles forneceram os pratos e os talheres.
Na verdade, o que mais amei no hotel foi a localização. O hotel é super novo, mas fica na parte antiga da cidade. Em muitos blogs, as pessoas indicam ficar em Palermo que é a parte mais badalada da cidade, mas não me arrependo mesmo de ter ficado em San Telmo e explico porque. Eu e o Victor queríamos “turistar” mesmo e conseguimos fazer muita coisa a pé. Além disso, existem vários Subte (o nosso bom e velho metro…) bem pertinho do hotel com várias linhas diferentes.
Para quem for para BsAs eu super indico esse hotel. Mas me contem, o que vocês acharam? Ficariam no hotel?