Primeiro dia em Curitiba 

O primeiro dia em Curitiba não foi bem em Curitiba. Vários amigos dos meus pais tinham falado sobre um passeio de trem de Curitiba a Morretes. Pesquisando sobre o passeio resolvemos fazê-lo já que estaríamos lá. O passeio não é nem um pouco barato, na categoria turística (mais barata e mais básica!) o valor é 99 reais por pessoa e por trecho! Idosos e estudantes pegam menos, mas não metade, 76 reais cada e por trecho. O que isso oferece? Um assento e um lanchinho (bem mixuruca…). Além disso, para a compra é necessário trocar e-mails com a companhia de trem Serra Verde, não há no site da companhia a opção direta de compra. Sinceramente, o trem estava bem cheio, a companhia já poderia ter se modernizado né? Quando a compra é aprovada, você receberá um recibo no seu email, que não é o ticket. Você deverá pegar sua passagem na estação. Enfim… Confusão.

Outro fator muito importante: NÃO COMPREM DE AGÊNCIA! Eu comprei tudo e ficou um terço do preço oferecidos pela agência. É chato comprar tudo, mas o seu tempo será compensado pelo seu bolso.
O passeio em si dura 4 horas no mínimo, saindo da estação de Curitiba às 8:15 da manhã. O que eu achei? Demorado. O visual é bonito sim, a natureza é bem exuberante sim, mas não tem mais nada no trem. Achei meio desgastante. Se eu faria de novo? Não. Se indico? Indico, acho que uma vez é interessante sim, mas mais do que isso não.
IMG_7661

No começo da viagem…

IMG_7692

Trem e o visual na saída de Curitiba

IMG_7723

Vegetação de Mata Atlântica


IMG_7780

Visual quase chegando em Morretes

IMG_7819

Família

Chegando em Morretes íamos andar a pé, mas encontramos um guia/motorista chamado Maurício (se quiserem o telefone dele, me avisem!), que custou 30 reais por pessoa. Além de Morretes, ele nos levou a cidade vizinha chamada Antonina. São cidadezinhas do interior, mas super bem conservadas e bonitinhas. Não tem muito o que fazer também, só curtir a vista do mar, ir na igreja e almoçar! Gente! Almoçamos em um lugar delicioso! Fica bem na praça principal de Antonina e é muito gostoso. O prato famoso da região chama-se barreado, uma carne desfiada e cozida com farofa. Não comemos ele, comemos camarão, casquinha de Siri, peixe grelhado… Huuuum, deu até água na boca.

IMG_7833

Antonina

IMG_7848

Visual de Antonina

IMG_7860

Praça Fofa de Morretes

Voltamos para Curitiba de ônibus. A passagem é bem mais barata que o trem, 16 reais por pessoa. Além disso, a viagem dura menos que o trem, 2 horas. No site da Viação Graciosa é super fácil de comprar as passagens, pode-se escolher os assentos e existem dois tipos de trechos, um pela BR e outro pela estrada da graciosa, saindo praticamente de hora em hora. Decidimos ir pela estrada da graciosa, para fazer o passeio todo, mas acho que não vale a pena. A estrada é totalmente sinuosa e depois do dia de passeio, nós simplesmente apagamos e não vimos nada. Ah! Infelizmente, nãoar condicionado no ônibus.
Esse foi nosso primeiro dia no Paraná. Vocês já fizeram esse passeio? Gostaria de fazer?
Anúncios

Tamanho não é documento!

Em Minas Gerais existe um lugar pouco conhecido pelos próprios mineiros e que eu tenho memórias incríveis. Esse lugar tem nome e endereço! O Museu das Reduções está disposto em Amarantina, distrito de Ouro Preto e é um passeio que todos brasileiros (principalmente, nós os mineiros!) devemos fazer.

museu reduções 2

Museu das Reduções

O Museu, como as obras que lá estão expostas, não é grande, entretanto abriga miniaturas de locais de grande importância na história de 15 Estados Brasileiros e com uma riqueza de detalhes impressionante! Uma obra da iniciativa privada, sem fins lucrativos, idealizada, projetada e executada pelos irmãos Vilhena, que fizeram de um hobby, um lindo espaço de cultura.

Museu-das-Reduções-em-Ouro-Preto-Foto-Leo-Homssi-660x390

Interior do Museu das Reduções

Vocês devem estar pensando, qual a diferença entre maquetes e reduções? O próprio site do museu responde que, “além de usar os mesmos materiais e o estilo dos originais, as reduções se diferenciam das maquetes pelo detalhamento na construção, com destaque nas minúcias que enriquecem as fachadas e dão um toque todo especial ao acabamento.”

Museu Reduções

Igreja da Pampulha

igreja_sao_francisco_assis_02

Interior da Igreja da Pampulha

A primeira escultura é datada de 1978, réplica da Igreja das Dores, de Campanha, terra-natal dos quatro irmãos. A última, de 2001, foi a Igreja de São Francisco de Ouro Preto, que ficou inacabada, mas serve para demonstrar como era feito o trabalho dos irmãos. Infelizmente, hoje o local só recebe 500 visitantes ao mês, enquanto anos atrás já recebeu mais de 2,4 mil no mesmo período.

palacio_da_alvorada_01

Palácio da Alvorada

farol_da_barra_01

Farol da Barra

Sabe aquele lugar que te transporta para vários outros? Esse faz isso e com riqueza de detalhes! Ideal para um passeio de sábado! Ah! As crianças também irão amar, porque fui quando criança e nunca esqueci! Recomendo! Vamos valorizar o que temos certo? Se interessaram? Já foram? Me contem!

TOP5: lugares onde eu sonho em ir

Cada um de nós sonha em ir em algum canto do mundo né? Comigo não é diferente. Conforme as características de cada um, você pode imaginar onde… Alguns gostam de praia, outros de cidade. Tem gente que busca sossego, outros agitação. Uns viajam para botar as pernas para o alto, outros para bater perna. Eu, como boa apreciadora de arte, super urbana e que se considera uma pessoa do dia, tenho alguns lugares nesse mundão de Deus que (com sorte e esforço), quero ainda conhecer. Claro, que não são só esses, mas todo mundo tem aqueles mais desejados… Vocês já pararam para pensar no TOP5 de vocês? É mais difícil que vocês imaginam! Se vocês souberem, me contem viu? Iria adorar saber! Se vocês já foram em algum lugar dos meus, me avise se gostou ou se decepcionou…

5- Tailândia – esse país do Sudeste da Ásia é lindo. Vi fotos maravilhosas de Phuket, um lugar mágico, cheio de praias paradisíacas e hotéis maravilhosos. Além disso, na capital Bangcoc encontram-se lindos templos , com o Wat Arun,  e o Grande Palácio. Não sei vocês, mas quando penso no Sudeste Asiático, com a Tailândia, a Indonésia, o Nepal eu penso em cores, muitas coresIMG_2897

4- Fernando de Noronha – um paraíso aqui no nosso país… Qualquer um que segue os famosos da Globo (plim, plim) no Instagram, sabe que lá é um dos destinos favoritos deles. Eu, particularmente, fico babando nas fotos que eles postam… O lugar é reservado para poucos visitantes por vez para que não haja degradação da natureza, por isso, é um paraíso da natureza quase intacto. Lá você nadará em praias azuis, fará mergulho e poderá curtir a natureza que a ilha dispõe. Infelizmente, o preço é salgado, mas com um pouco de disciplina e sorte de uma promoção, o sonho se tornará possível.

image2

3- Copenhagen – A capital da Dinamarca é linda, porque ela consegue mesclar o moderno e o antigo de uma maneira muito harmoniosa. O país é uma monarquia parlamentarista (o monarca é o chefe de Estado, mas não é o chefe de governo), por isso, existem prédios históricos da família real como o Castelo de Rosenborg, o Castelo de Kronborg e o Palácio de Amalienborg, casa da Rainha Margaret II. Além disso, o país é muito conhecido pelo design, o que proporciona muitos toques modernos, como o hotel Bella Sky.

image1

2- Israel – É a terra sagrada, preciso dizer mais? O país é especial para várias crenças, islâmica, judaica e cristã. Eu, como católica, gostaria muito de visitar onde Jesus passou, além de visitar os pontos importantes das demais religiões, como o Muro das Lamentações e a Mesquita de Al Aqsa. Tel Aviv, é mais moderna que Jerusalém, mas igualmente linda. Nadar no Mar Morto também seria muito especial. Acho que o país é um pacote completo.

image3

1- Itália – Quem me conhece sabe que tenho um fraco quando o assunto é a Itália. Não sei se é a língua, a comida, a arte espalhada em cada canto ou a história, ou se é a combinação disso tudo. Eu já conheço duas cidades italianas, Milão e Verona, e depois de conhecê-las eu tenho certeza que quero conhecer o resto. Imagino me perder nas ruelas de Roma, passear de gondola em Veneza, me maravilhar com a catedral de Florença, assistir a benção do Papa (tomara que seja o Papa Francisco, querido!) no Vaticano e desvendar a Toscana e a me deliciar nas praias de mar azul italianas.image4

Eram essas que vocês tinham imaginado? Ficaram surpresos? Me contem! 

Retrospectiva Restôs 2014 – BH

Estou de férias na praia e tinha pensado que só iria postar depois que voltasse para BH. Entretanto, vi um post no Fashionismo que me inspirou. A The (sim, sou uma seguidora assídua, por isso me considero íntima) do Fashionismo, fez um post com a Retrospectiva de Restaurante/Bares/Comidas de 2014 do Rio. Vou fazer também, só que de BH.

Não sou nenhuma expert, mas se tem uma coisa que eu gosto é sair para comer, (e comer bem)! Como vocês sabem BH é muito famosa por seus bares/restaurantes, e, realmente na minha cidade se come muito bem. A lista é totalmente pessoal (com a ajuda do Victor, devo admitir!), mas aqui no blog sempre estou me expressando, certo? Por isso, nos comentários, quero sugestões também!

/home/wpcom/public_html/wp-content/blogs.dir/9eb/71272604/files/2014/12/img_2769.jpg

Francês: Mes Amis – esse restaurante em Lourdes é muito especial. Fui comemorar com o Victor nosso sexto ano de namoro, utilizando o Wave Cash, um bloco de cupons que nos deu o segundo prato grátis! Achei muito lindo, romântico e a comida é deliciosa! Não é o restaurante mais barato da cidade, mas de vez em quando pode né?

Italiano: Gusto Osteria – Conheci o Gusto, que também se encontra no bairro de Lourdes, devido ao aniversário do meu pai, em Setembro. Estava rolando a Restaurante Week de BH e sempre utilizo essa época pra conhecer restaurantes novos. O Restaurante é bem pequeno, mas é bem gostoso e a massa é deliciosa!

Churrascaria: Adega do Sul – muitos não irão concordar, mas acho que pelo custo benefício, a Adega é a melhor churrascaria. Ela oferece praticamente tudo que as demais oferecem, com a mesma qualidade, mas com um preço um pouco menor!

Melhor comidinha: Pão de Queijaria – eu adoro o conceito da Pão de Queijaria, da Savassi. Isso porque, é bem mineiro e para um lanche é ideal. Existem vários tipos de Pães de Queijo recheados tanto salgados, quanto doces. Para aqueles que são celíacos, existe algumas opções sem glúten!

Self-service: AA Wine Experience – Também conheci o AA devido ao Restaurant Week, entretanto, enquanto eu e a minha amiga Carlinha comíamos os três pratos oferecidos, nossos pais preferiram o Self-service. A variedade de pratos, saladas e sobremesas é incrível, além de ter uma carta de vinhos completíssima! Para um almoço domingo com a família é uma ótima pedida.

Pizza: Olegário – Na minha opinião não existe melhor. Ela é fina, bem recheada e tem diversas opções (desde as mais típicas às mais diferentes!). Eu amo a Estrada Real (carne seca!) e a de Carpaccio! Existem várias unidades espalhadas pela cidade e todas mantém a excelência, procure a mais perto de você, que você bem atendido!

Hamburger: Burger’s Club – Eu já fui em muitas hamburguerias em BH, mas para mim o melhor hamburger de todos é o do Burger’s Club. O estabelecimento fica no bairro São Pedro, pertinho do Pátio Savassi. O cardápio é enxuto, mas tem todas as opções que gostamos, com uma batata muito boa!

Restaurante Chique: O Conde – O Conde é bem chamativo na Rua Conde de Linhares, então a decoração é linda! Tomei um vinho rosé lá delicioso! As comidas também são muito boas e bem feitas. Amei as sobremesas também. O Chef de cozinha, no dia que estávamos lá, foi até a mesa, se apresentou e nos perguntou se estava tudo bem.

Boteco: Tizé – Esse é muito famoso e fica muito lotado. Fui no aniversário do cunhado Henrique e gostei bastante. Achei os drinks bem bons e variados, além das comidas serem gostosas e fartas.

Decepção: Bacon Paradise – Tinha tudo para dar certo, mas decaiu muito. Você espera muito desse lugar, porque afinal é BACON! Entretanto, o bacon é muito grosso, é muito oleoso e os hambúrgueres não são nada demais.

Melhor sobremesa: Olegário – Petit Gateau de Doce de Leite com sorvete de queijo! Uma receita francesa com um toque mineiro, precisa dizer mais?

Melhor sorvete: Alessa – Para os Belo-Horizontinos não é novidade que a Alessa é o melhor sorvete. São sabores variados, de frutas e alguns exclusivos. Além disso, eles fazem várias sobremesas deliciosas com sorvete, um petit gateau maravilhoso com calda de frutas vermelhas, vale muito!

Comida Natureba: Projeto Sabor – Não é muuuuuito natureba, mas é o mais natureba que eu como. Lá tem uns sucos deliciosos e de variados sabores. Além disso, os sanduíches são montados por você, com carnes, queijos e saladas variados. Lá também tem: saladas, carpaccio e muitas coisas mais.

Comida Mineira: João Rosa – eu não sou muito de comida mineira (não como feijão…), mas se eu tivesse que pensar em um lugar bem mineiro seria o João Rosa. O restaurante é simples, não muito conhecido, mas muito bem servido, com muita variedade e é self-service. A comida é bem caseira, por isso, torna essa experiência bem mais gostosa.

Quero ir ano que vem: Au bon Vivant – Já li muito sobre esse restaurante, no site do Chata de Galocha e meus amigos Carlinha e Tito me falaram muito bem de lá. É comida francesa e como eu amo Creme Brulee estou louca para provar o de lá.

Surpresa: Si Señor! – Eu não comia muito mexicano, porque não gosto de pimenta. Entretanto, um casal amigo nosso (Mari e Léo Barbosa!) nos convidou para um encontro de fim de ano lá. O restaurante é no BH Shopping e é muito delicioso e farto! Dividimos dois pratos e sobrou! Ah! Os drinks também são muito bons também!

Completão: Glouton – EU ESTOU APAIXONADA! Eu fui ao Glouton com a minha amiga Carlinha e nossos pais. Ela que indicou! Eu não tenho palavras para descrever os sabores que experimentei lá. O atendimento é impecável, o lugar delicioso e os pratos são lindos e muito bem executados. INDICO MUITO!

Meu preferido: Santa Fé – eu AMO o Santa Fé. Acho que ele tem a la carte muito completo, tem um self-service muito bom e sobremesa deliciosas! Eu adoro muito, que passei meus aniversários lá.

Restaurante que precisa vir para BH: Guacamole – eu e o Victor fomos para Santa Catarina visitarmos os amigos Tati e Juninho, que nos levaram em Balneário Camboriú no Guaca. Eu e o Victor AMAMOS! A comida é gostosa (tem opções com pimenta e sem pimenta!), muitos bons drinks e atrações especiais. Os mariachis passam de mesa em mesa tocando e cantando e, depois das 23 horas um DJ muito bom entra em cena.

Restaurante – gringo – que preciso vir para BH: P.F. Chang’s – eu adoro comida chinesa e fui nesse restaurante em Miami que eu adorei. Ele já veio para São Paulo, mas queria aqui em BH. O cardápio chinês é um pouco diferente do que estamos acostumados no Brasil, mas as coisas são muito suculentas e muito gostosas!

Vocês viram que não tem nenhum Japonês, mas isso é devido ao fato, de quem vos fala não gostar de peixe cru. Esses restaurantes, eu garanto a qualidade =) Podem discordar, concordar ou sugerir outros nos comentários, afinal comida boa nunca é demais!

Portinari aos olhos de Ronaldo Fraga

No último dia 26, a Casa Fiat de Cultura passou a abrigar mais uma exposição, além da “Barroco Itália Brasil”, (que já falei aqui no blog!), chamada “Recosturando Portinari“. Fui com um amigo meu que também ama esse tipo de passeio, Hermano, e as fotos maravilhosas que vocês verão aqui são dele (tem algumas minhas, mas ele é o especialista!). Como já tinha ido naquela exposição do Ronaldo Fraga, baseada nos grandes escritores, como Carlos Drummond de Andrade e Guimarães Rosa (hoje ela está no CRModa, que também já falei no blog!), achei que já sabia o que esperar, mas ele me surpreendeu positivamente.

IMG_0388.JPG

A mostra é baseada no quadro de Portinari, “Civilização Mineira” que fica exposto de forma permanente no 1º andar do CFC, juntamente com a coleção “O Caderno Secreto de Cândido Portinari” feita por Ronaldo Fraga para o SPFW deste ano, baseada na obra do pintor. Além do quadro, cinco salas no 4º andar, compõem a mostra, que traz o lúdico do quadro para vida real.

Na sala de entrada, você é recebido pelos inconfidentes retirados do quadro, além dos pássaros nos fios que também “ganharam vida”. Na seqüência, a direita, você terá duas salas que contam a cronologia de vida do pintor, com quatro espantalhos feitos de sucata e com tablets nas “barrigas”, remetendo os espantalhos recorrentes na obra do artista. Além disso,  há imagens dos quadros mais importantes feitos por ele, tudo muito colorido e em formatos diferentes.

IMG_0393.JPG

Logo ao lado, há uma micro sala que apresenta um vídeo, de no máximo 3 minutos, mostrando o processo de restauração do quadro “Civilização Mineira“. O vídeo mostra o passos feitos pelos profissionais para que o quadro continuasse a nos encantar. Você irá se surpreender com o trabalho minucioso, cuidadoso que teve que ser feito pelo restauradores, pois o quadro estava cheio de cupins e com traços esbranquiçados em algumas partes. Datado de 1959, o quadro é o maior de Portinari exposto em Minas Gerais, composto por 12 chapas de madeira e tem como tema a mudança da capital mineira de Ouro Preto para Belo Horizonte.

IMG_0395.JPG

No lado esquerdo, estão expostas algumas roupas criadas por Ronaldo (algumas inéditas!), que apresentam elementos característicos dos quadros de Portinari, como os balões de São João, as pipas e os azulejos, além de cores, formas e padrões usados pelo artista. Tudo foi muito pensando, pois às roupas estão expostas sobre um chão de café (o cheiro é delicioso), fazendo referência a série de quadros que contam a vida do homem do campo, a vida no interior feitos por Portinari. No teto, estão dispostas luminárias, uma nova versão dos balões de festa junina, feitos com arame e filtro de café,(foi a parte que mais amei ♥ e as fotos ficaram lindas!) tudo muito rústico, criativo, artesanal e bem colorido. 

IMG_0396.JPG

Ronaldo Fraga em uma entrevista disse que o mais importante dessa exposição “é a oportunidade de apresentar a obra de Portinari para uma outra geração“, e por isso, ele queria que a mostra interessasse “a qualquer pessoa, com qualquer formação cultural e classe econômica“. Acho que ele conseguiu atingir o objetivo dele, pois ficou fácil, simples, sem perder o encantamento e a doçura. Acredito, que Portinari é um dos artistas brasileiros que nós, belo-horizontinos, temos um carinho especial, pois foi ele que pintou a nossa Igrejinha da Pampulha, que é um dos nossos cartões postais mais visitados e admirados. Por isso, mineiros, brasileiros, não deixem de ir, vocês irão se encantar e ter uma experiência maravilhosa. 

IMG_0394.JPG

A exposição ficará na CFC até 26/10, a entrada é gratuita (como a maioria dos locais que posto no blog e do Circuito Cultural).A visitação ocorre: 3ª a 6ª das 10h às 21h | sábados, domingos e feriados das 10h às 18h.

Alguém já foi? Quem nunca tinha ouvido falar, mas gostou da idéia? COMENTEM PESSOAL ✎✎

Casa Fiat de Cultura 

Praça da Liberdade, 10 – Funcionários – BH/MG.

Telefone: (31) 3289-8900

www.casafiatdecultura.com.br

casafiat@casafiat.com.br

facebook.com.br/casafiatdecultura

Instagram:@casafiatdecultura